segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Felicidade

"Se vive a menos de 1,5 quilómetros de distância de um amigo que se sente feliz, as suas hipóteses de ver a vida com bons olhos aumentam em 25 por cento. Quando alguém se ri, é normal que as pessoas à sua volta sorriam, pelo menos. Mas a felicidade pode espalhar-se pelas nossas redes sociais de uma forma mais impressionante e duradoura. Se está feliz, pode agradecer aos seus amigos - e aos amigos deles, e aos amigos dos seus amigos, mesmo que não os conheça, concluíram dois cientistas norte-americanos que analisaram a felicidade de 5000 pessoas ao longo de 20 anos. A felicidade é mesmo contagiosa, um fenómeno colectivo que se espalha pelas redes sociais. "Descobrimos que os nossos estados emocionais podem depender das experiências emocionais de pessoas que nem sequer conhecemos, que estão até dois ou três graus de distância de nós. E este efeito não é passageiro"
(...)
Mas o mais curioso, dizem os cientistas, é o efeito a longa distância, sobre as relações indirectas. Um amigo de um amigo de uma pessoa que fique feliz vê aumentar em dez por cento as possibilidades de ficar também feliz. E os amigos deste têm 5,6 por cento mais de hipóteses de passarem a ver a vida com melhores olhos."

E esta?
Curioso... também por vezes sinto isso, mas dá-me ideia que não é assim tão duradouro, parece que passa num instante esse sentimento... Dá, pelo menos, para sorrir um bocado.

A Felicidade devia ser a nossa meta, devíamos fazer de tudo para a atingir, a soma dos nossos actos e decisões deveria dar a Felicidade, sem mais nem menos. Se bem que não sabermos exactamente que partes é que havemos de somar umas às outras, também dá alguma motivação, dá vontade de as procurar e experimentar acrescentar às que já temos, e ver se encontrámos a fórmula secreta. O problema é que nunca vamos saber... Suponho que se essas decisões nos fizerem sentir bem, se não nos arrependermos de as ter tomado, então já encontrámos algumas parcelas da fórmula. Outro problema é que essas parcelas não são sempre as mesmas, por vezes o resultado final atinge-se, somando coisas diferentes, coisas que nunca pensámos que pudessem servir para atingir a Felicidade.
Temos sempre que ir tentando, retirar umas parcelas e acrescentar outras e ir vendo se estamos perto do que queremos.

A mim, ainda me faltam muitas parcelas...

Música que vai na minha cabeça: "Cannonball" - Damien Rice

2 comentários:

Anónimo disse...

Que estudo fantastico... os americanos... sera q ha felicidade ou momentos felizes???? nao sei mt bem a resposta... e bom estarmos felizes, mas e optimo qd podemos dar momentos de felicidade a alguem... ai sentimo-nos mais felizes ainda... q bela musica... bom gosto... ;)

Sissi disse...

Cada vez mais penso que a felicidade é a soma de momentos felizes. Há sempre alguma coisa que leva a que não te possas considerar completamente feliz. Por isso aproveita os momentos felizes. Pode ser que a soma no final dê um resultado positivo!!! :)